Feedback negativo | Gamefic

Feedback Negativo – Boas Práticas Para Não Errar

Como dar um feedback negativo? Existe crescimento sem feedback? A prática de oferecer um retorno para determinada atividade ou ação é comum nas organizações, ou pelo menos deveria ser.

O fato é: o feedback é fundamental, seja o tipo que for.

Contudo, um dos mais temidos ainda é o feedback negativo. Não só por ser difícil apontar os pontos negativos de um colaborador, mas também por não ter plena certeza da reação de quem recebe.

Este texto mesmo é um feedback pra você leitora e leitor. Tanto para os que são gestores e não praticam o feedback negativo, quanto para os que são colaboradores e não cobram qualquer tipo de retorno dos gestores.

Afinal, de onde surgiu o feedback?

Você pode até pensar que o feedback é a nova invenção de moda imposta pelos gestores da organização.

Mas vai se surpreender quando souber que a ideia do feedback nasceu em mil oitocentos e bolinha. Pra tentar falar com mais exatidão, em torno de 1860, época da Revolução Industrial.

Tudo começou em como o modo de produção de energia, quantidade de movimento ou sinais de saída retornavam a um ponto de partida pertencente a um sistema mecânico.

Foi só depois da Segunda Guerra Mundial que o termo foi se adaptando para questões profissionais.

Por fim, a essência do feedback sempre foi a mesma: avaliar um desempenho e apontar os pontos positivos e de melhorias nele.

Os tipos de feedback

Nós já falamos aqui no blog sobre a importância e os tipos de feedback. Você pode conferir clicando aqui.

Em resumo, existem três tipos de feedback: o positivo, o construtivo e o negativo.

Como o foco deste texto está no feedback negativo, vamos deixar você entender mais sobre os outros no texto acima citado.

O feedback negativo, por sua vez, é um dos mais difíceis de dar e de absorver. Ele não chega a ser uma bronca, mas é um sinal de alerta para o colaborador. Uma conversa sincera e aberta é o caminho ideal para ter sucesso neste tipo de retorno.

Como oferecer um feedback negativo?

Se por um lado a tarefa não é fácil, por outro, deve ser encarada como uma oportunidade de desenvolver o profissional e assim, contribuir para o crescimento mútuo.

Por isso, separamos uma lista com 6 dicas importantes na hora do feedback negativo.

Objetividade no feedback negativo

O momento já pode ser difícil para piorar a situação com longos discursos. Um bom feedback negativo é objetivo e claro no que deve ser apontado, sem lições de moral.

Além do mais, quanto mais objetivo for o discurso e mais claro, melhor o colaborador entenderá a mensagem.

Comunicação positiva e não violenta

A tensão do momento não pode deixar que a comunicação seja afetada. Por isso, é preciso trabalhar com palavras positivas e comunicação não violenta.

Assim, o clima fica propício para um diálogo aberto, onde as duas partes exponham os seus pontos sobre a situação.

Argumentos fundamentados

A melhor forma de oferecer qualquer um dos tipos de feedback é com argumentos baseados em dados.

Mostrar com números e informações precisas é muito mais fácil e apoia todo argumento que o gestor precisa passar. Além do mais, a ilustração faz com que o colaborador entenda na prática os pontos que devem ser melhorados.

O local é fundamental para o feedback negativo

Um feedback negativo nunca, em hipótese alguma, deve ser dado em frente a outros colaboradores. Isso gera um mal estar entre o time e ainda um constrangimento para quem vai receber o retorno.

Escolha uma sala e um horário adequado, sem que isso chame a atenção de outras pessoas. O momento deve ser tranquilo para que a mensagem e as necessidades sejam absorvidas da maneira correta.

Além de apontar os erros, é preciso mostrar saídas

Tudo isso não se trata apenas sobre apontar os erros dos colaboradores. Da mesma forma, é preciso indicar caminhos de melhoras e mostrar atitudes positivas sobre o caso.

Ou seja, leve além do que deve ser melhorado, formas de como melhorar. Indicar um caminho a seguir é também mostrar que a empresa está dando condições para que o colaborador se desenvolva e cresça lá dentro.

Ouvir

Feedback é muito sobre falar, mas também cabe determinar um tempo para que o colaborador coloque o seu ponto de vista sobre tudo o que foi dito para ele.

Assim, se tem um panorama de toda a situação, com todas as visões.

Feedback não é só sobre como falar, mas também como receber

Todo profissional deve estar preparado não só para oferecer um feedback, mas principalmente para recebê-lo.

Por isso, separamos este vídeo super didático para entender definitivamente como se portar ao receber um retorno das lideranças.

Agora, conta pra gente. Como é a cultura de feedback na sua empresa? 

Conheça a Gamefic – Plataforma de Gamificação

Compartilhe o Post

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Previous
Next