Treinamento Corporativo

O que é treinamento corporativo: Como fazer e quais seus benefícios?

O que é treinamento corporativo? É um dos alicerces mais importantes para empresas que desejam manter a alta performance mesmo diante de mudanças constantes que o mundo empreendedor exige. 

O principal objetivo aqui é ser capaz de desenvolver competências e habilidades que agreguem valor à organização e a ajudem a se manter competitiva em um mercado que evolui constantemente. 

Segundo uma pesquisa desenvolvida pelo LinkedIn apontou que entre 2015 e 2025, 40% das competências dos colaboradores devem mudar. Ou seja, quase metade do que os colaboradores fazem hoje na empresa, irá mudar até 2025. 

Para acompanhar tantas mudanças e tendências é essencial que a empresa desenvolva treinamentos. Mas, como realizá-lo? O que significa, de fato, esse conceito? Qual é a importância dele na empresa? Como usar? 

Se você se interessa pelo assunto e busca melhorar o desempenho da sua equipe, ler esse conteúdo é fundamental. 

Vamos começar? 

O que é treinamento corporativo? 

O treinamento corporativo é uma estratégia que visa aprimorar comportamentos e habilidades de um ou mais colaboradores de acordo com a sua função. 

Portanto, trata-se de uma ou mais aula cujo foco é transmitir algum conhecimento, como: 

  • Ensino de novas ferramentas; 
  • Obter conhecimento relacionado a um novo produto; 
  • Aprendizagem de novos processos; 
  • Mudanças de comportamento, etc. 

Apesar de, em sua maioria, o treinamento corporativo ser lecionado a partir de uma pessoa falando passando slides enquanto os colaboradores falam, existem outras maneiras de transmitir conhecimento em uma organização, como: 

  • Dinâmicas; 
  • Conteúdo em vídeo; 
  • Apostilas; 
  • Atividades de avaliação; 
  • Gamificação. 

Atualmente, as empresas, segundo uma pesquisa realizada pelo LinkedIn, apontaram que os treinamentos corporativos acontecem por diversos motivos, como: 

  • 49% foca em treinamento de liderança e gestão; 
  • 46% Capacitação e a atualização de competências dos colaboradores; 
  • 26% devido a capacitação e transformação digital; 
  • 26% para ajudar na diversidade, equidade e inclusão. 

A ideia de treinamentos é sempre aprimorar algum esforço e elevar a qualidade de um produto, além de transmitir um conhecimento. 

Diferença entre Treinamento, Desenvolvimento e Educação Corporativa 

Você sabia que existe uma diferença importante entre treinamento, desenvolvimento e educação corporativa? Isso mesmo. 

O treinamento corporativo, por exemplo, é um processo focado na melhora do colaborador relacionado às suas funções dentro da empresa. Além disso, trata-se de um processo pontual, visando o aprendizado em algo específico.

O que é treinamento corporativo 

O desenvolvimento, por outro lado, é um processo voltado para o aprimoramento pessoal do colaborador no longo prazo, que visa o seu crescimento como um todo. 

Por fim, a educação corporativa está ligada a aprendizagem do?colaborador, de maneira que esteja alinhada com os valores da empresa. O seu foco é também no longo prazo, assim como desenvolvimento. 

Por que realizar treinamento corporativo no seu negócio? 

Todo negócio vive em um setor que consiste em alta competitividade e uma aceleração de atualizações constantes de conhecimento. 

Em um simples piscar de olhos, surge uma nova tecnologia, o cenário se torna outro e as necessidades de consumo mudam. 

É justamente em razão desta instabilidade de mercado que nasceu o treinamento corporativo, a fim de manter uma gestão de alta performance e ajudar a empresa a responder de maneira assertiva as necessidades do mercado. 

Diante deste cenário, fica claro que uma empresa que não investe em treinamento corporativo, tende a ter muita dificuldade de se manter competitivo no mercado, independente do segmento em que atua. 

Além disso, passa a ser uma organização que tem maior dificuldade de gerar engajamento entre os colaboradores e tende a sofrer com o turnover no médio e longo prazo. 

Por essa e outras razões, desenvolver treinamentos corporativos de qualidade é fundamental para que a empresa obtenha bons retornos. 

Porém, para isso, é preciso encontrar alternativas que ajudem o colaborador a se desenvolver, obter o máximo possível de conhecimento para que aplique na empresa, como é o caso da gamificação. 

Como montar um treinamento corporativo? 

#1 – Saiba qual é a necessidade da empresa e comece a planejar

A primeira coisa que precisa ser feita para que a empresa possa aplicar o treinamento corporativo é avaliar qual setor necessita de aprimoramento. 

Realizar um estudo de mercado e avaliar os concorrentes é um bom começo para se fazer uma comparação e entender onde a empresa está pecando. 

Assim, para implementar o treinamento, antes de mais nada é preciso saber onde está a necessidade do negócio. Entendendo as dificuldades da organização fica mais fácil saber quais são os processos, conteúdos e melhor abordagem. 

Por fim, não deixe de verificar qual é o orçamento que a empresa está dispondo para aplicar o aprimoramento dos colaboradores. 

#2 – Determine os objetivos

Agora que você sabe qual é o setor que necessita de treinamento corporativo, analise qual é o objetivo de aplicá-lo e quais metas pretende alcançar. 

Entendemos que isso é óbvio, mas, vale lembrar que a meta precisa ser alcançável, porém, não seja simples demais para acabar desmotivando o time. 

#3 – Quem irá participar do treinamento? 

Chegou o momento de você determinar quem irá participar do treinamento e qual será o método utilizado que irá ajudá-los a obter o máximo de informação possível. 

Dependendo do tipo de ensinamento, você pode intercalar atividades mais complexas para modelos de gamificação, além de microlearning para a aplicação do conhecimento em atividades diárias. 

Entender qual é o modelo que melhor ativa o conhecimento do time é essencial para que consiga obter os resultados que busca. Por exemplo, o Grupo Força Tarefa é uma empresa de portaria remota que realiza seus treinamentos com o sistema de gamificação.

#4 – Elabore o treinamento

Agora chegou à parte de colocar a mão na massa e elaborar o treinamento. A elaboração vai variar sempre de acordo com as necessidades e o planejamento feito anteriormente. 

Se a melhor forma de ensinar é com atividades mais práticas, então o treinamento será um, mas, se for mais técnico, é preciso elaborar o material certo. 

Aulas online e presenciais irão necessitar de materiais diferentes e por isso, é preciso ter atenção em cada um desses detalhes. 

Não esqueça de oferecer atividades mais dinâmicas que despertem interesse no time para que eles se mantenham aprendendo. 

#5 – Execute

Chegou o momento de executar o projeto e preparar a equipe para que foque no treinamento. 

Não esqueça de incluí-los mencionando o motivo que está levando a empresa a oferecer esse treinamento e o que se espera de cada um. 

Chegou o momento de colocar em prática todos os passos falados antes. Entretanto, não esqueça de colocar os colaboradores no centro da aprendizagem. 

#6 – Mensure

Por fim, chegou o momento de avaliar os indicadores do treinamento e avaliar?cada um. É importante também receber o feedback dos colaboradores para entender se o modelo de treinamento realizado é interessante ou algo deve melhorar. 

Caso tenha optado por utilizar uma plataforma de gamificação para o treinamento, ela irá oferecer para você, de maneira automática, a colocação de cada colaborador, além de apresentar um relatório com insights que te ajudaram na tomada de decisão. 

Fazer essa avaliação é fundamental para que consiga obter os melhores resultados possíveis após o treinamento e, caso seja necessário realizar novos, saberá onde e como melhorar. 

Como gamificar o treinamento corporativo? 

O treinamento corporativo segue ações parecidas com a gamificação, entretanto, as maneiras que diferenciam ambos os conceitos são os elementos. 

Na gamificação são aplicados diversos elementos para deixar o treinamento mais moderno, interativo, engajado e com um processo de feedback constante ao colaborador. 

Além disso, o conceito precisa ser capaz de avaliar cada participante individualmente, além de gerar uma atividade com contexto que aproxime o colaborador do jogo e da realidade que ele irá utilizar as técnicas do treinamento. 

Abaixo, apresentaremos como a gamificação pode ser aplicada em um treinamento corporativo de maneira simples e bem prática: 

#1 – Defina o treinamento corporativo que será feito

A primeira coisa que você precisa determinar é que tipo de treinamento corporativo será feito na empresa e como a gamificação pode contribuir, de fato, com ela. 

Alguns treinamentos que a gamificação consegue contribuir de maneira direta são: 

– Localização: Treinamentos com colaboradores localizados em diversos lugares do mundo, como é o caso de grandes companhias, que treinam sua equipe diante de uma necessidade específica e tem escritórios espalhados no mundo inteiro. 

– Facilitar o entendimento: Por outro lado, existem treinamentos fundamentais para a empresa, mas, extremamente complexos de serem aprendidos de outras formas que não seja pela gamificação, gerando maior leveza para digerirem o conteúdo. 

Entendendo como a gamificação poderá ajudar a sua empresa, você está pronto para seguir para a próxima etapa. 

#2 – Quem irá receber o treinamento

Depois da empresa determinar o tipo de treinamento que irá fazer, está na hora de definir quem serão os colaboradores que receberam o treinamento. 

A aplicação pode ser feita somente para um grupo específico de pessoas ou para todo mundo da empresa. 

É importante, que seja definido quem irá receber o treinamento para que ele possa ser personalizado de acordo com o perfil dos profissionais. 

?#3 – Determine os objetivos dos jogos

O que torna a gamificação tão atraente é, sem dúvida, o elemento lúdico que contribui para o aprendizado dos colaboradores, que devem vencer etapas e ganhar pontos. 

Errar nesta etapa pode fazer com que o treinamento vá por água abaixo, pois, você irá investir em um jogo que não estimulará a equipe e não trará o resultado que busca. 

Se a sua empresa trabalha com segurança industrial como a Gerdau, por exemplo, você pode criar um jogo onde seus colaboradores avaliam um espaço e identificam possíveis erros de segurança. 

Quem encontrar o máximo de erro em uma cena, soma mais pontos e ao final, irá receber uma recompensa. 

É importante que o jogo esteja dentro da cultura da organização, como missão e valores. 

?#4 – Represente os colaboradores no game

A identificação é um dos aspectos mais importantes dentro do processo de gamificação e por isso, não pode faltar no seu treinamento corporativo. 

Assim, você passa a transformar os colaboradores em um personagem, criando um contexto para que as habilidades que eles precisam aprender sejam desenvolvidas no game. 

Apesar de, à primeira vista, ser uma etapa de capricho, ela não é, e é essencial dentro do processo de identificação e a partir disso, de engajamento dos participantes. 

O que pode ser utilizado como inspiração são ações diárias, roupas, gênero, materiais e assim por diante. 

#5 – Defina como o ranking será apresentado

Agora que você já sabe quem irá participar do projeto, como o treinamento será gamificado e os personagens foram criados, chegou o momento de determinar como o ranking será apresentado. 

Esse passo é muito importante, pois se trata de uma forma de os participantes avaliarem imediatamente como estão evoluindo no jogo e na aprendizagem. 

?As maneiras de medir o desempenho dos participantes são: 

  • Ganhos de medalhas ao passar por determinadas fases; 
  • Recebe pontos a cada etapa ultrapassada; 
  • Quantidade de fases que foram passadas. 

Aqui é importante ter um cuidado extra, pois, é preciso determinar o que fazer em casos de empate, se ambos irão receber o prêmio. 

Além disso, não esqueça de determinar como o ranking será apresentado para eles, com o nome de todos os colaboradores ou se aparecerá somente a posição individual do jogador 

#6 – Faça um teste antes de aplicar

?Agora que está tudo determinado no jogo, é importante que você faça um teste do jogo para saber se não tem nenhuma falha e está de acordo com o planejado. 

Isso é importante, pois, apesar de ser para divertir os colaboradores, a real razão da aplicação da gamificação é desenvolver novas habilidades na sua equipe para que a performance seja maior e gere mais resultados na empresa. 

Chame algumas pessoas do setor e veja como eles irão se sair e faça uma pesquisa para verificar se eles conseguiram aprender o que era proposto. 

#7 – Acompanhe os resultados

Depois do teste é hora de colocar a mão na massa. Com o jogo em execução é preciso ir avaliando os resultados obtidos. 

O objetivo do jogo é que os colaboradores aprendam o que está proposto e o máximo de conhecimento possível. 

Assim, é preciso chegar e buscar os feedbacks dos participantes, além de os verem agindo na prática com as novas habilidades aprendidas. 

Aqueles que tiveram um baixo desempenho, é importante entender os motivos e analisar se o mesmo acontece na prática. 

Entender e analisar todos os dados vão contribuir para novos treinamentos e até realizar intervenções que estejam puxando a organização para baixo. 

Compartilhe o Post

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter